segunda-feira, 19 de julho de 2010

Aparências

Olhe
Se depare com a felicidade
Aprecie o encanto do sorriso
Dance ao som do sino da prosperidade

Espere
Observe mais um pouco
Se atente à mão inquieta
Veja a indecisão durante a pausa

Pare
Mergulhe mais profundamente
Entre pelo fugaz olhar distante
E descubra a dor daquela alma

Gestos e atitudes
Tudo em vão!
No âmago daquele ser
Não há aparência confortante

O belo é feio
A coragem é medrosa
O simples é complexo
E a verdade, uma porção de mentiras

Uma escolha
Duas vidas
A boa pertence aos outros
A ruim não divido com ninguém.


2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Muito lindo. Continue escrevendo assim, por favor.

    ResponderExcluir